29/04/2015

Para lerem quando crescerem* #7 - Do verbo desistir...

Queridos filhos, 

A ideia de se desistir vem quase sempre associada à falta de coragem, à falta de determinação, à falta de vontade em ir em busca daquilo que se quer. 

Não!

Há momentos em que é necessário desistir, desistir de comportamentos, desistir de pensamentos, desistir de um trabalho, desistir de pessoas até... 

Defendo que aquilo que desejo e pelo qual luto e alcanço me deve fazer feliz, mas se afinal de contas não faz é porque há alguma coisa errada, ainda assim insisto, insisto porque nem sempre posso desistir, insisto essencialmente por comodidade, por orgulho ferido, por apego, por teimosia, por dependência, e dou por mim a insistir no que não me faz feliz, e isso, vai minando a minha essência.

Às vezes é tempo de desistir e parar de insistir, sem medo de parecer que baixamos os braços, que se fracassou, que se lutou pouco, que se precisava de ter mais coragem ou ser ainda mais forte e determinado para me conseguir manter numa situação que me faz infeliz. 

Confesso-me imperfeita, confesso que já desisti, já desisti de um amor por ter encontrado outro maior, já desisti de um trabalho que não me fazia feliz, já desisti do que me faz mal, já desisti de amizades, de sonhos, de planos, de tanta coisa…simplesmente, parei de insistir. 

Aprendi que às vezes tenho que desistir e desistir não é nada mais do que parar de insistir.

Desistir às vezes faz bem!

A Mãe que nunca vai desistir de vocês. 

♡♡♡♡

 *para quando souberem ler

24/04/2015

O meu maior desafio enquanto Mãe de dois!


Ela bateu-lhe com o microfone do Panda na cabeça, ralhei com ela.

Ela zangada porque lhe ralhei puxou-lhe os cabelos.

Ele chorou.

Disse-lhe que se não gostava do irmão que o íamos dar a outra senhora, que ele ia morar para outra casa.

Ela chorou.

Chorou enquanto me dizia não, não, não, Pixente não vai embora!

Pedi-lhe para lhe ir dar um beijinho, um abraço e pedir desculpa, ainda assim, orgulhosa, não foi.

Este será sem duvida o meu maior desafio enquanto Mãe destes dois bebés, conseguir incentivar a cumplicidade entre os dois, ter a capacidade de explicar que devem dividir objectos e acima de tudo afectos, fazer com que juntos percorram um percurso que lhes permita criar vínculos que durem uma vida inteira, que não briguem, que não voltem as costas um ao outro, que sejam amigos.

Quero conseguir ensinar aos meus filhos o verdadeiro sentindo de um irmão, a importância um do outro nas suas vidas.

Os irmãos não são escolhidos como os amigos, são as pessoas com quem se divide a casa e os pais, sem o ter pedido.

Tenho em crer que a qualidade do relacionamento entre os irmãos depende essencialmente de como os pais se organizam para acomodá-los, de como os pais evitam dar mais atenção a um do que a outro, de como os pais mostram que cada um tem seu lugar.

Desejo que sejam os melhores amigos, verdadeiros companheiros de uma vida, que se amem verdadeiramente.

Espero sinceramente, estar à altura deste desafio!

♡♡♡♡

23/04/2015

IVI - Instituto Valenciano de Infertilidade


Quando penso na difícil e complicada gravidez do V., penso também na quantidade de mulheres que pagariam para passar por tudo o que eu passei para conseguirem alcançar o sonho da maternidade.

Digo muitas vezes que a maternidade é madrasta, e a infertilidade será sem duvida a mais cruel das madrastas na vida de uma mulher que anseia ser Mãe.

INFERTILIDADE é palavra tabu, felizmente e com o passar do tempo, cada vez mais vai sendo um assunto falado e assumido por quem sofre desta que é já uma doença reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, com uma percentagem que se estima atingir cerca de 10% a 15% da população em idade reprodutiva.

O IVI é o Instituto Valenciano de Infertilidade implementado no mercado português, desde 2006. São já mais de 36 clínicas IVI espalhadas por todo o mundo, Portugal, Espanha, Índia, Brasil, Argentina, México são alguns dos países que oferecem aos cidadãos comuns os melhores tratamentos de Reprodução Assistida.

Há mais de 9 anos que  o IVI Lisboa ajuda inúmeros casais a tornarem realidade o sonho de serem pais, tendo nascido mais de 2.000 crianças em Portugal, com a ajuda dos tratamentos de Procriação Medicamente Assistida, como a Inseminação Artificial ou a Fecundação In Vitro.

Atualmente o IVI também ajuda casais serodiscordantes a terem bebés completamente saudáveis e livres do vírus, há já alguns casos de sucesso de crianças nascidas através de tratamentos a mulheres seropositivas para o vírus do VIH, Hepatite B e Hepatite C.

Outro dos serviços que é prestado é a vitrificação de ovócitos, este serviço possibilita o congelamento dos ovócitos ainda com qualidade, em mulheres que querem adiar a gravidez, por algum motivo social ou profissional, ou em mulheres que estejam a atravessar uma doença, como o cancro, antes de iniciarem tratamentos como a quimioterapia ou a radioterapia.

Este tema além de delicado ainda não é muito falado em Portugal, felizmente e ao longo do tempo tem sido desmistificado junto do publico em geral, nomeadamente, mediante campanhas de sensibilização, folhetos informativos, audiências com deputados, caminhadas, manifestações e sessões de esclarecimento.

À Conversa no IVI é a primeira sessão de esclarecimento, sobre Tratamentos de Reprodução Assistida, que vai ser promovida pelo IVI a título GRATUITO no dia 5 de Maio pelas 19h na Avenida Infante D. Henrique, 333 H - Esc. 1 - 9ª, 1800-282 Lisboa.

É importante que se procure ajuda especializada, é importante que se perceba que a infertilidade é uma doença, que esta doença tem tratamento e uma recompensa de uma nova vida.

Contactos IVI aqui e aqui 

22/04/2015

11 meses de Baby V.




Faz hoje 11 meses que te beijei pela primeira vez, um beijo perfeito… um beijo que tomou conta de mim, tu que tomaste conta de mim no momento em que te beijei primeiro com os olhos depois com os lábios!

10 segundos nos lábios e o resto da vida na minha memória.

11 meses de ti...

♡♡♡♡

21/04/2015

À minha amiga M. ♡



A M. é aquela amiga a quem pela primeira vez chamei melhor amiga. 

Ontem a M. fez anos, dei-lhe um envelope, abriu e ficou desiludida, o envelope tinha o convite do baptizado de Baby V. de quem ela vai ser Madrinha, mas ainda assim ficou desiludida, disse-me que esperava que lhe escrevesse qualquer coisa, umas palavras bonitas como dizia em tom trocista.

Antes de começar a unir estas palavras parei para reflectir, deixei todas as nossas memórias – as recentes e as antigas – ocuparem a minha cabeça, e fico feliz quando recordo o que já vivemos juntas e fico expectante com aquilo que juntas ainda temos para viver.

Querida M.

Tenho duas palavras bonitas para te dizer – Desculpa e Obrigada! 

Desculpa por te ter desiludido ontem, por certo e ao longo destes 20 anos de amizade não terá sido a primeira vez que te desiludi, mas consigo ouvir-te a  dizeres-me “não te preocupes”, já perdi a contas às vezes que a minha consciência pesa por não ter sido a amiga que devia ser, de quando te falho ou não estou à altura do que devia e mereces, desculpa.

Obrigada por chegares sempre no momento certo, no momento que eu mais preciso, por estares comigo quando sorrio mas também quando choro, por teres um sentido de humor e uma gargalhada contagiante, um sorriso travesso, um olhar perspicaz, por aceitares os meus defeitos, pela sabedoria do uso do silêncio quando sabes que ele próprio vai dizer tudo o que preciso, por me reprovares com um olhar mudo por não me quereres magoar com as palavras, por me incentivares quando tenho medo, pelos segredos sempre bem guardados, por compartilhares comigo o que me faz doer e o que me angustia, por me ensinares que a vida é como uma peça de teatro, que por vezes não há tempo para os ensaios e ainda assim temos que subir a palco e dar o nosso melhor.

Sou tão feliz por te ter na minha vida!

♡♡♡♡

17/04/2015

Hum...

O A. estava com baby M. em plena sessão cinematográfica, quando chega o Padrinho de Baby V.

Da cozinha oiço a interessante conversa sobre o ainda mais interessante filme que viam.

A: Já viste este filme? Este filme é muito bom!

Padrinho G.: Hum...Não!

A: E a miúda canta muito bem.

Padrinho G.: Hum...Pois!




♡♡♡♡

16/04/2015

Coisas dela#6



Eu: Madalenaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, sai de cima do teu irmão, ele é mais pequenino que tu, podes magoá-lo. Ele é bebé!

Baby M: E eu Mãe? 

♡♡♡

13/04/2015

Amor é...


Chorar por um simples anel!

Foi um fim de semana em que por vários momentos coloquei em causa a minha sanidade mental, a lima das unhas que encontrei no copo da escova dos dentes, os morangos que estavam guardados no micro ondas, o arroz que foi aberto e guardado sem entrar na panela, mas o mais grave, o mais grave de tudo, foi olhar para a minha mão esquerda e não ter a minha aliança de noivado.

Há muito tempo que não me lembrava de ter um momento em que bloqueasse daquela maneira, fiquei quase que petrificada a olhar para a mão, comecei louca a correr a casa toda a tentar lembrar-me onde seria possível ter perdido a aliança ou se por acaso a tinha tirado, mas a minha cabeça estava vazia ao contrário dos olhos que estavam a esta altura já cheios de água que derramou quando oiço a minha Mãe dizer que a tinha perdido de tão magra que estou, bem tentava pensar mas não conseguia.

Não conseguia pensar tal como no dia em que juntos saltámos 5000 metros de altitude e ao por os pés em terra ele me põe a aliança no dedo e me pede em casamento.

No dia que saltámos juntos e selámos o momento com um simples anel foi o começo de uma nova etapa na nossa vida.

Há momentos que não se repetem por muito que se tente, há objectos que não se substituem e esta que exibo com orgulho como que a gritar ao mundo que a ele pertenço é insubstituível.

Sim apareceu, estava na cama da Baby M., continuo sem saber como foi lá parar…

Sou só eu que acho que perder uma aliança é perder um bocadinho de uma história? 

♡♡♡

08/04/2015

Baby V. já gatinha!


video


Baby V. descobriu a primeira forma de se deslocar sozinho... 

Seguramente já não quererá estar mais quieto... esta sua inquietude que significa nada mais nada menos que o inicio da suas descobertas.

Seu grande crescido podes crescer um bocadinho mais devagar?

♡♡♡

P.s. Alguém reclamou que o video estava no Instagram mas não estava no blogue!

07/04/2015

Das voltas da vida...

Fizeram-me uma proposta e eu atirei-me de cabeça sem pensar duas vezes, sem pensar nos prós e nos contras que essa decisão poderia trazer para mim, para nós...

No compasso de espera, havia dias em que desejava não ser escolhida, havia outros dias em que pensava no disparate que pensava em não ser escolhida e desejava ser escolhida.

Fui escolhida!

O medo…o medo de sair da zona de conforto, de seguir por caminhos mais sinuosos e arriscados.

A vida dá voltas, quando me vejo a mim e às voltas que a minha vida tem dado até chegar à vida como é agora vivida não deixo de esboçar um sorriso e um certo ar de admiração, um segundo que vira o segundo anterior do avesso, uma palavra que vira a palavra anterior ao contrário, encho o peito de ar, faça chuva ou faça o sol e sigo o caminho que o sei, com curvas, subidas íngremes e buracos, mas que ainda sem medo de o fazer.

Tudo na vida é uma escolha, cada um escreve a sua história à sua maneira, eu decidi sair da introdução e dar espaço a um novo capítulo.

O tempo não pára e a vida não espera.

Dei um salto, e em vez de cair espero conseguir voar!

Desejem-me sorte!

♡♡♡

02/04/2015

Baby V. bate palminhas!


Há Mães chatas, Mães que fazem dos filhos macaquinhos, sempre a quererem que os filhos mostrem as suas habilidades: bate palminhas! diz olá, agora diz Mamã! faz adeus!

Eu sou uma Mãe dessas, chata, mas eu não seria assim se baby V. não batesse palminhas tão bem mas tão bem, ao ponto de não lhe resistir... de ser mais forte do que eu... e só lhe peço 10 vezes por dia para o fazer.

Se calhar não sou chata mas sim muito chata.

V. bate palminhas para a Mamã JJJJ

♡♡♡♡