27/02/2015

Cheiros...



Há cheiros que reconheço, há cheiros que estranho e cheiros que me entranham.

Cheiros que me levam de volta ao passado, que me fazem lembrar situações já passadas, memórias escondidas,  momentos da vida, a um momento, e de tão intenso que consigo vivê-lo de novo.

O cheiro…
esse que nos leva a reunir os mais variados sentimentos, saudade, angustia, tristeza, alegria, amor, prazer, nostalgia…tudo aquilo que me faz lembrar a altura em que o conheci e o apreciei.

No ar deste escritório paira todo um cheiro de pipocas e algodão doce, hoje tenho 7 anos e estou na feira popular.

Bom final de semana … repleto de cheiros!

♡♡♡♡

Nosso Menu - Semana 10/53


Menu para a próxima semana!

Espero que gostem J

♡♡♡♡

26/02/2015

Dia Nacional para a Sensibilização da Perda Gestacional

Era impossível ficar indiferente a esta petição que acabei de assinar, uma petição que tem como objectivo a criação do Dia Nacional para a Sensibilização da Perda Gestacional.

Tenho dois filhos mas já estive grávida quatro vezes, sofri na pele duas perdas gestacionais antes de Baby M., tento neste post explicar por palavras como foi, o que senti...

É uma perda dura, incompreendida por quem nos rodeia e frases como, Ainda és nova tens muito tempo!, não são certamente consolo para quem acaba de perder um filho, independentemente do tempo gestacional esta é sem duvida uma dor que não se esquece, são filhos que antes de estarem na barriga estão no coração. 

Esta é uma dor muda, pouco se fala do assunto, é quase tabu, quando infelizmente e depois de passar por isso percebi que é tão mais comum mas que não se fala sobre isso, e acho que uma palmadinha nas costas e um para a próxima vai ver que corre tudo bem sejam suficientes, há que quebrar o tabu, há que respeitar o sofrimento de todos os pais, há que falar!



Porque nem sempre conseguimos resolver os nossos problemas sozinhos.

♡♡♡♡

25/02/2015

Para lerem quando crescerem* #5

Meus amores,

Lembrei-me que há já algum tempo não vos escrevo quando me perguntaram o que era o "Para lerem quando crescerem" neste nosso blogue, expliquei que são como cartas que vós escrevo, cartas estas que nem sempre são fáceis de escrever, são com toda a certeza os textos onde tenho mais dificuldade com as palavras desajeitadas que escrevo, palavras que apago, palavras que rasuro e que volto a escreve vezes sem conta.

Como vos definir? O que vos dizer? O que representam para mim? 

Não há palavras suficientes para conseguir responder...

Gostava de vos conseguir definir, sou suspeita, tão suspeita, é-me difícil definir os meus próprios filhos, seres únicos que me marcam pela personalidade que me fascina, que me prende. Tenho a sorte de distribuírem alegria e simpatia por onde passam, têm um sorriso que me encanta, sem falar nas gargalhadas contagiantes, que poder esse o vosso de me cativar e apaixonar dia após dia.

A vossa chegada revolucionou a minha vida, a minha maneira de ser, de estar e enxergar a vida, são como uma bússola que me guia, como uma luz quando os dias teimam em ser escuros, tudo tem outro sabor, outra magia, são vocês que me movem, vocês o melhor da minha vida.

Diz-me a vossa Tia S.L., que com a vossa chegada adquiri uma nova licenciatura, licenciatura que não pediu anos de estudo, não pediu tempo, disciplina, persistência ou esforço, licenciei-me sem precisar de estudar, sem ler qualquer manual, sem precisar de pratica ou estágio, sem precisar de nada minimamente racional, licenciei-me automaticamente assim que te vi Baby M., no minuto em que te peguei ao colo pela primeira vez, o poder do encaixe perfeito e a maneira ideal de te pegar pareciam uma capacidade inata...

mas esta é uma licenciatura sem fim, a licenciatura Mãe que nunca acaba, vocês ainda têm tanto para me ensinar, sim, os filhos também ensinam as Mães.

Estarei sempre ao vosso lado, ainda que algumas vezes possa parecer o contrário, a maioria dos vossos problemas, não vou resolver, por mais que eu saiba como os resolver, faz parte do meu papel de mãe ensinar-vos a enfrentar sozinhos, mas estarei aqui pra vos ajudar a resolver, seja com ensinamentos, palavras, um ombro amigo ou simplesmente vos ouvindo.

A vida oferece-nos oportunidades únicas, a melhor de todas, a oportunidade de ser vossa mãe!

Com muito amor, 

Mãe 

♡♡♡♡

*para quando souberem ler

24/02/2015

E se nos acontecesse a nós?

Acabei de ler este post, comecei a ler e face à sua extensão comecei a ficar ansiosa e vim logo para o fim, só queria ler a palavra “encontrei-o”, li o post porque uma amiga partilhou no Facebook dela e o mesmo está acompanhado de um comentário de uma amiga que por coincidência trabalha na IKEA, referia ela que a IKEA está preparada para agir rapidamente neste tipo de situações e conta um episódio de uma criança que desapareceu na loja e quando a conseguiram encontrar a criança fazia-se acompanhar de estranhos já com o cabelo cortado e com a roupa mudada.

No momento em que li isto senti o estomago na boca e o coração nos pés, toda uma revolução se deu em mim, incrédula que isto fosse possível em Portugal, confesso que já tinha ouvido falar destas histórias mas achava que eram como um mito, e de repente imagino a minha baby M. desaparecida e encontrada de cabelo cortado de roupa trocada, imagino se esta situação fosse connosco, e confesso que não consigo pôr por palavras o que sinto.

Mesmo sem conhecer esta amiga da minha amiga perguntei-lhe: Pensei que essas histórias do cabelo cortado e outra roupa vestida...em Portugal? caramba. Ainda estou a digerir essa história, acabei de levar um soco no estômago. Obrigada! Respondeu-me que este episódio não se passou em Portugal mas sim na Alemanha. Não me descansou!

Às vezes ainda acho que sou muito ingénua, ou talvez não queira acreditar na maldade que anda por este mundo fora, ou pior, muito pior, talvez seja daquelas que ache que há coisas que só acontecem aos outros.

Acho que hoje abri ainda mais os olhos para uma realidade que eu não queria enxergar. 

Tudo o cuidado é pouco, mil olhos insuficientes e uma distracção por um segundo pode ser uma tragédia.


23/02/2015

Maternidade sem Manual

Quando engravidei de Baby M. ouvi toda uma série de palpites sobre tudo e mais alguma coisa, compra isto, não faças/faz assim, é melhor desta forma, e isto e aquilo...

Quando nasceu todos os palpites dados até então não foram suficientes e os mesmos continuaram a surgir, de todos os palpites há um que não me esqueço e que foi de todos o mais certeiro, aquele que ouvi com mais atenção e que reti: Não ligues a nada do que te dizem, há uma coisa que se chama instinto e esse não te vai falhar! És tu que vais saber o que é melhor para o teu bebé!

Confesso que tenho um certo pavor de pessoas que padronizam a maternidade.

A maternidade é acompanhada de fortes sentimentos, e nos momentos de dúvidas, não faltam conselhos das mães, das sogras, das tias e das amigas, obviamente que todos bem intencionados, mas por vezes a divergência de opiniões pode fazer com que uma simples decisão seja uma verdadeira batalha. 

Uma coisa é certa, assim como na vida, a maternidade não tem manual. 

Então porquê tentar padronizá-la? 

Se somos todos diferentes, porquê criar os filhos de forma igual?

E o instinto, esse, nunca mas nunca me tem falhado. 

22/02/2015

9 meses de baby V.

Disse-lhe para estar quietinho que lhe queria tirar uma fotografia para recordar o dia em que faz 9 meses, acreditou! 

Pequenino querido da Mãe 


video


20/02/2015

Bexsero – Sim ou Não?

Este não é um assunto actual, mas na nossa casa ainda era e era uma questão que me andava a atormentar.

Na consulta de rotina dos 6 meses de Baby V. perguntei ao pediatra a opinião dele quanto à administração desta vacina, respondeu-me que deveria esperar, a vacina é nova, ainda não se conheciam os efeitos da mesma pelo que deveria esperar para se saber mais sobre a mesma, fui para casa descansada, além de confiar em pleno no pediatra deles também eu acho que não sendo necessário não vale a pena estar a submete-los a mais bicharocos e possíveis efeitos secundários, e desliguei do assunto. 

Entretanto várias amigas começaram a perguntar-me se eu lhes tinha dado a vacina, e quando respondia que não ouvia do outro lado, NÃO DESTE?

Passado uns dias já era eu que estava a começar a perguntar a algumas pessoas se tinham dado ou não esta vacina aos seus filhos, uma amiga foi peremptória na sua resposta: Claro que dei, a partir do momento em que se pode morrer é para dar! Caramba que esta frase nunca mais me saiu da cabeça e andava mesmo ansiosa com este assunto.

Ontem fomos à consulta de rotina dos 9 meses de Baby V. e voltei a falar sobre este assunto ao pediatra, a opinião mudou, deixou ao nosso critério mas a sua opinião é, sim é para dar a vacina, mas sem pressas, quando ele fizer 12 meses pensa nisso e a prioridade é Baby V. e depois logo pensa em dar a Baby M. 

Já eram muitos meses a pensar neste assunto não ia aguentar mais 3 meses, assim como não me fazia qualquer sentido administrar a vacina só a um, decidimos que era para fazer logo e aos dois. 

Vim para casa bem mais leve, da consciência e da carteira, é uma vacina caríssima (não sei se vai haver menu semanal nos próximos tempos a não ser que gostem muito de açorda) e li entretanto que não consta do Plano Nacional de Saúde por falta de verba, não sei se será mesmo a verdadeira razão.

Recusei-me, até hoje, pesquisar no Dr. Google o que quer que fosse relativamente a esta vacina, e ainda bem, vale a pena ler a explicação da mesma aqui e aqui.

Já sabia que este assunto era alvo de divergência, mas eu não conseguia andar mais em divergência com a minha consciência.

19/02/2015

Contemplação





gosto de vê-los a dormir, de os conseguir contemplar em pleno sem interrupções...

de ficar a olhá-los enquanto decoro cada detalhe dos seus rostos, têm um ar sereno que me derrete

enquanto dormem não sentem o meu toque, mas eu insisto em acarinha-los, gosto de sentir a pele deles nos meus dedos enquanto os mimo devagar

cada vez que os seus peitos sobem e descem, sinto a minha paz a ser restabelecida aos ritmo das suas respirações

conto quanto palmos tem cada um, pois sei que se acordarem estarão diferentes,

mais crescidos!

18/02/2015

Não quero esquecer...

Não quero nunca esquecer o motivo pelo qual este blogue nasceu.

Disseram-me e ainda me dizem várias vezes quando se fala na gravidez do V. que vou esquecer tudo. 

Não vou esquecer, não quero esquecer!

Como é que se esquece uma gravidez? Como é que apago da cabeça os meses intensos desta gravidez? 

Não se esquece, não se apaga!

Recebi um email de uma Mãe que passou também ela uma gravidez difícil, dizia-me que após dias e dias a ler o meu blogue teve finalmente coragem para me enviar um email, entre várias coisas que partilha comigo, diz-me ainda que: “Nos últimos dias ter lido o seu blog e perceber como superou tudo sem entrar em depressão ajudou-me e tem ajudado a ser mais forte e não dar espaço sequer para se instalar uma depressão.”

É tão bom, é tão grande saber que afinal este blogue chega a alguém, saber que serve (não quero dizer inspiração porque pode ser presunçoso de mais) de conforto para quem se julga sozinha. 

Este era o meu grande medo na altura, achar-me sozinha, não ter resposta a algumas questões, parecia-me que as gravidezes acamada não existiam ou eram como um assunto tabu, eu prefiro acreditar que são gravidezes raras. 

Recordo-me de nos primeiros tempos ainda antes do blogue existir ter recorrido a um grupo de Mães do Facebook, de ter colocado várias questões sobre gravidezes acamadas e ter obtido uma única resposta, se já tinha vontade duvidas não restaram para fazer este blogue nascer. 

E se duvidas por vezes existem, depois de receber emails como este concluo que este blogue vale a pena.

17/02/2015

Então e o Carnaval de Baby M. e Baby V.?




Mergulhos de amor ♡

No dia do amor levámos Baby V. pela primeira vez à natação, adoroouuuuuuu!

Do dia do amor do ano de 2015 é este o registo que ficará para recordar, é isto que eu chamo mergulhar no amor.



Venham de lá esses risos, eu aguento!



13/02/2015

No dia do amor...



informo que aceito os teus protestos de amor não só hoje mas todos os dias, o canto direito já está rasgado de tanto dobrar. 


Percebo que este blogue tem alguma credibilidade...

...quando mais do que uma leitora me faz convites de amizade no meu facebook pessoal!

J

Nosso Menu - Semana 8/53


Esta semana o menu é da minha amiga R. do "Memórias da M" sei da sua dificuldade no que toca à organização e decidi contribuir para uma semana mais organizada desafiando-a a fazer o menu da próxima semana, confessou-me que o marido lhe deu uma ajuda não fosse ele, por experiência própria, um cozinheiro de mão cheia. 

Sou muito suspeita para falar sobre este blogue, esta família faz parte do meu dia à dia, são sobrinhos do coração e sei que também eu faço parte das suas memórias J

Obrigada querida amiga.

12/02/2015

Baby M. descobriu o meu nome!

Baby M. entrou naquela fase em que me chama pelo nome…

O meu nome é Vanessa, que me perdoem todas as Vanessas mas este não é um nome bonito, diz que significa “como uma borboleta” ainda assim não fico minimamente convencida, este é um nome que não se cola à minha pele e continuo a imaginar que me poderia chamar qualquer outro nome.

Sorte a minha que Baby M. não me chama pelo nome propriamente dito mas o apelido pelo qual sou chamada desde pequena por quase todas as pessoas e com o qual me identifico.

Não me incomoda que me chame pelo apelido, sei que o faz porque ouve o A. fazê-lo, contudo,  vivia na esperança que lá para os 15 anos dela descobrisse o meu verdadeiro nome, mas não, na escola, e cá desconfiada que sabendo deste meu ódio de estimação pelo meu próprio nome ensinaram-lhe que a Mãe se chama Vanessa.

Manessa! Manessa! Manessa! Grita ela pela casa enquanto se ri descaradamente.

Já percebeu tudo.

O meu nome é Vanessa, tenho 35 anos e a minha filha de 2 anos goza comigo!



Espero que entretanto não descubra o segundo nome. 

11/02/2015

Sonhos que me fazem pensar...

Há noites que os sonhos me apanham depressa e desprevenida.

Sonhei que ele me tinha dito na cara sem medos e sem rodeios: Já não gosto mais de ti! Que havia uma outra pessoa e que não estava nem ai nem para mim nem para eles.

Já uma vez contei que tenho uma relação estranha com os sonhos, acredito verdadeiramente que os sonhos são os meus medos, desejos e receios.

Acordei com um nó no peito, aflita, sem ar, não consegui olhar logo para ele e ao mesmo tempo tinha vontade de ir ter com ele abraçá-lo e perguntar-lhe: ainda gostas de mim? 

Baby V. chorou, tive que ir acudir e não perguntei, Baby M. pediu colo, tive que a acolher e não perguntei. 

Vim trabalhar e não me saia da cabeça o sonho e o facto de não lhe ter perguntado se ainda gosta de mim ou não. 

Enviei-lhe uma mensagem a perguntar: Ainda gostas de mim? 

Respondeu um simples: Não sei eu outra coisa!

Suspirei de alivio.


Confesso, às vezes esqueço-me do nós, eu e tu!

10/02/2015

Coisas minhas#3

Confesso que vivo no dilema de achar que não gozo/usufruo de baby V. tanto quando quero, desejo e preciso, tudo porque a parca diferença de idade entre ele e baby M. faz com que ela exija e me absorva de tal forma que o tempo que me resta para ele me é/nos é insuficiente, tudo porque quando os ciúmes vem à tona ela faz questão de marcar a sua posição como que a relembrar-me que chegou primeiro que ele.

Muitas vezes cedo às suas exigências por ainda me sentir em divida para com ela pelo tempo que lhe foi "roubado", pelo tempo em que eu estava mas não estava. 

Dizem que os meninos são Mãe, o meu menino em momento de aflição esguelha o olhar em busca do Pai e chora quando o deixa de ver.

O meu menino que exige o dobro da atenção e dedicação para que lhe consiga arrancar um simples sorriso.

O meu menino que já sabe cobrar o que é seu por direito, que já sabe cobrar as minhas falhas e ausências. 

Como é que se divide o indivisível? 

09/02/2015

Rotina...

Sei que faço parte de uma pequena percentagem de pessoas que gostam de rotina, do igual todos os dias.

Uma vida cheia de rotinas não significa uma vida chata e monótona, ter uma rotina não significa ser rígida com os horários nem transformar a nossa casa num quartel general, mas ter acções previsíveis para o que é realmente rotineiro, é pisar terreno firme, saber ao que vou, saber o que me espera sem deslizes nem partidas desagradáveis, um porto seguro.

Gosto de acordar e entrar naquele a que chamo caos matinal mesmo que todos os dias me queixe, queixume de Mãe também faz parte da rotina, 

Gosto da  simplicidade do dia, da correria e da azafama, de ir para o mesmo trabalho, ver e cumprimentar as mesmas pessoas,

Gosto de saber que todos os dias, no mesmo horário, receberei três beijos e três abraços das mesmas pessoas, 

Gosto de ter para onde voltar todos os dias, gosto de saber que estão lá, à minha espera.

Rotina não é fazer o de sempre, mas sim fazer como sempre.

O que muitos chamam de rotina eu chamo de oportunidade.

O tempo passa, as rotinas entrelaçam-se, os horários combinam e a vida torna-se mais estável e segura.

Voltámos finalmente à nossa rotina,

Voltar à rotina, sabe-me sempre a recomeço. 

06/02/2015

Nosso Menu - Semana 7/53


Estava desejosa de partilhar este menu, já era para ter sido a semana passada mas com o internamento de Baby M. foi impossível. 

Descobri este blogue há algum tempo e confesso que me perdi (no bom sentido) com tanta informação, dicas, receitas e conselhos, fiquei logo cheia de vontade de mudar alguns maus hábitos e introduzir algumas mudanças mais radicais, bem sei que por vezes pequenas atitudes, pequenas mudanças podem fazer uma enorme diferença na nossa vida mas confesso que no meu caso reina alguma preguiça, pouca força de vontade e alguma resistência a este tipo de alimentação, estou muito "agarrada" a comida típica e caseira, mas já ando a “namorar” a ideia de aderir à moda dos sumos vitaminados/detox, pode ser que seja um bom começo para uma mudança na alimentação em nossa casa. 

A R. aceitou o meu convite de sorriso rasgado e entusiasmado e confessou-me ainda que foi uma óptima ajuda para desbloquear uma ideia que já tinha planeado desenvolver, não só preparou, cuidadosamente, um menu saudável e nutritivo, como preparou ainda receitas para quem se quer iniciar na aventura dos sumos vitaminados/detox, receitas das panquecas de banana, do bolo de aveia e ainda a lista de compras para quem quiser seguir à risca este diferente e delicioso menu.

Por favor não percam, visitem e sigam este interessante e tão útil blogue, quem sabe não se entusiasmam e entram na aventura do estilo de vida saudável,

Adquirir hábitos saudáveis está nas nossas mãos - It’s Up to You!  J

Querida R. muito mas muito obrigada por toda a dedicação e cuidado na preparação deste menu. 



Notas da R.:

- o Sumo Vitaminado pode ser substituído por uma peça de fruta;
- a lista de compras, é sem quantidades, uma vez que depende do agregado familiar;
- uma vez que se trata de um plano nutricional e saudável estão contempladas refeições familiares e snacks que podem ser levados de casa para o trabalho.


Lista de compras Menu Semanal Nutritivo e Saudável:

  • Sumos vitaminados
Fruta:

- 1 abacaxi
- 1 maças verdes
- 1 bananas (da Madeira, por exemplo)
- 1 kiwis
- 1 limões


Legumes:

- agriões ou aipo (1 pacote pré-lavado ou a quantidade correspondente)
- 1 pacote de espinafres (1 pacote pré-lavado ou a quantidade correspondente)
- 1 courgette (grande)
- 1 pepinos
Ervas aromáticas:
- coentros
- salsa
- hortelã


Sementes (1 pacote dá para várias semanas):

- sementes de chia
- sementes de girassol


Líquidos:

- chá verde
- água de côco

- Mais receitas de sumos vitaminados: http://www.its-uptoyou.com/post/102990688573/lista-de-compras-e-receitas-de-sumos-detox-para#sthash.ClC7CB3q.dpuf


  • Pequenos-almoços e meio da manhã:

- ovos
- pão escuro (centeio, espelta, aveia)
- arroz tufado de chocolate sem açúcar
- aveia
- mel
- canela
- chocolate em pó (preto)
- doce sem açúcar
- fiambre de perú
- queijo
- iogurtes gregos sem açúcar
- chá verde
- bananas
- frutos vermelhos frescos
- amêndoas, nozes, cajus, amendoins
- ameixas secas
- chocolate 70% cacau
- alperces

  • Refeições principais (almoços e jantares):

- frango
- salmão
- bacalhau 
- camarão
- bifes de perú
- batata doce
- wraps
- cebola
- ervilhas
- tomate
- cenoura
- milho
- beterraba
- maionese caseira
- rúcula
- coentros
- azeite
- flocos de milho s/ açúcar
- legumes variados para sopa
- quinoa
- lentilhas
- espinafres salteados
- tomate cherry
- miolo de nozes
- bróculos
- grão
- feijão preto
- arroz basmati
- alho
- tomate maduro
- pescada ou cherne
- farinha integral
- flocos de aveia simples
- sumos de maça
- óleo
- sultanas
. cenoura
- sultanas
- limões
- geleia de arroz
- cenoura
- cocô ralado

  • Receita das paquecas de banana:

Ingredientes:
2 col (sopa) de farinha de aveia
1 col. (sopa) de linhaça (semente ou moída)
2 claras (ou 1 ovo)
1 banana (bem madura, pra ficar docinha)
1 pitadinha de adoçante culinário (opcional)
Preparação:
1. Misture a farinha de aveia com a linhaça.
2. Coloque o adoçante se necessário.
3. Misture as 2 claras e a banana bem amassadinha.
4. Mexa bem até que a massa fique bem homogênea.
5. Coloque pequenas porções na frigideira para fazer vários discos ou faça um grande, deixe a massa doura a parte de baixe e só depois vire para dourar o outro lado.

  • Receita do bolo de aveia:

2 tijelas de flocos de aveia finos, 2 sumos de maça (utilize para tudo a mesma medida), 1/2 de óleo, 100g de sultanas, 100g de nozes, raspa de limão,1 de geleia de arroz, 1 de maça ralada, 1 de cenoura ralada, 50g de côcô, 50g de alperces secos.
Colocar tudo na liquidificadora e fica pronto para ir ao forno.

05/02/2015

Qual o blogue com os melhores leitores do mundo?

O meuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu J

Obrigada por terem estado atentos numa altura que me foi difícil de gerir, obrigada simplesmente por me lerem mesmo que não se manifestem, bem sei que estão ai, obrigada pelo carinho que depositaram em cada gosto, comentário, mensagem ou email.

Gostava de vos conseguir agradecer pessoalmente com um abraço, agradeço desta forma, um obrigada especial a:

Marlene Pequenão, Filipa Moreira Aguiar, Joana Mateus Guerra, Sandra Gil, Susana Pereira, Marta Viana Quintãs, Cláudia Almeida Oliveira, Pais com P Grande, Paula Aljustrel, Maria Trapeira, Paula Santos Silva, Joana Gonçalves, Sónia Justo Picanço, Renata Costa, Paula Lopes Fragata, Carolina Santos, Rita Monteiro, Rafaela Matos, Fabiola Rita Fernandes, Ana Rita Afonso Leal, Paula Barbosa, Teresa David, Aua Dias, Andreia Saraiva Matos, Raquel Fortes, Rita Pinheiro de Andrade, Catarina Coutinho, Mafalda Judas, Patricia Martins, Arlete Carita, Joana Paredes Lopes, Tatiana Simão, Ynys, Lita, Didi, Cátia Oliveira, Catarina Matos, Rute Sebastião, Susana Viana, Cátia Patrícia, Raquel Belo, Carla Nogueira Gonçalves, Humberto Magro, Cristina Matos Real, Catarina Oliveira, Maria João Cardoso, Ana Isabel Batista, Adão Coelho, Bens e Serviços para Bebes e Crianças, Principezinho Tomás, Ana Silva, Cátia Garcia, Marlene Arezes, Maria João Silva Nunes, Núria Coelho, Dora Lopes, Olga Pinto, Rita Mexia, Ana Sofia Cruz, Carla Miguel, Gisela Portela, Maria Mia Relógio, Patrícia Sobreiro, Magda Ruivo, Juliana Bittencourt, Rafaela Matos, Cristina Almeida Santos, Luísa Pinheiro, Sónia Amorim, Ana Paula Cunha, Cristiana Cardoso, Teresa Bispo, Maria Tangerina, Reinaldo Crespo, Filipa Ferreira, Alexandre Nelson, Cátia Carvalho, Mafalda Serra, Ana Conceição, Sónia Amorim, Ana Sofia Miranda, Sónia Pérola, Susana Pereira Farinha, Paula Barbosa, Patrícia Almeida Pinheiro, Fatyta Littlte Swan, Inês Tavares Rodrigues, Liliana Valverde, Nuno Cerqueira, Ana Sofia Santos, Cátia Chambel Rosado, Ana Tomás, Joana Pereira, Marta Vale Cardoso, Sandra Dias, Joana Gonçalves, Filipa Madaleno, Rex Fonseca, Ida Triães, Gonçalo Pereira Esteves, Sofia Baptista, Mafalda Marques, Ana Cabral, Rita Correia, Sofia Francisco, Magui, Rach, Carolina Mendonça, Vera e Raquel Maia.

Sim, também eu estive atenta! J

04/02/2015

Desabafo...

Com os meus filhos doentes adoeceu também o meu coração de Mãe, adoeceu de preocupação, de ansiedade, de angustia, de medo, de duvidas…

Foram dias difíceis, até que chegasse um diagnóstico conclusivo, até ouvir: Não tem com que se preocupar! 

Ver baby M. numa cama de hospital foi por certo o mais difícil desde que desempenho o papel de Mãe, a dificuldade aumentou quando baby V. também ficou doente e precisava de mim e eu tive que escolher ficar com quem precisava mais de mim, coração de Mãe não se divide, nestes dias o choro foi engolido, assumi que a Mãe não chora nestas alturas, tinha que ter um sorriso sempre pronto para ela nem que fosse fingido, precisava de estar inteira, precisava de estar com a cabeça no lugar embora tudo o resto fora do sitio!

Hoje voltei a respirar,

Os olhos acordaram secos,

O nó da garganta desatou,

Os braços já não estão adormecidos do colo que me foi exigido,

O estômago remexido acalmou,

As pernas bambas de medo voltaram a dar passos firmes.

O coração, também está curado, curou com sorrisos, birras, abraços, choros de mau feitio, curou quando tive os dois ao meu colo envoltos num abraço. 

03/02/2015

Baby M. em casa!

Teve alta hoje!

Recebeu um prémio de bom comportamento, a realidade é que foi merecido portou-se tão bem durante todo o internamento. 

Já estamos todos juntinhos, baby V. parece-me zangado comigo, nesta casa hoje só há mimo.




❤❤❤❤

02/02/2015

Estes dias...

Ela:


Amanhã talvez vá para casa.

A recuperação está a ser lenta, recusa-se a comer e enquanto assim for não podemos ir para casa.

Herdou uma conjuntivite, está aborrecida e hoje pediu para ir à rua.

Só quer o colo da Mãe.

Ele:


Não melhorou mas também não piorou, come menos mas sempre bem disposto. 

Sente a falta da Mãe.

Eu: Queria ser duas! 

❤❤❤❤